02 julho 2008

Onde Estou Agora?

nuvens
O vídeo da semana aqui já virou vídeo do mês. Faz tempo que não coloco nada de novo em mais uma grande pausa de interação. Porque deixo tantas vezes de fazer as coisas que me motivam e me deixam feliz, as coisas positivas, tocar, ouvir música no último volume, pular, escrever e ler, para fazer as coisas que o mundo quer que eu faça? Claro, trabalhar é importante, dá um $$, dá satisfação, torna nossa capacidade mais útil e aplicável na prática, mas enfim, não dá pra ouvir só o que o mundo precisa.

Daí a gente vai deixando... estamos trabalhando demais, e a vida está difícil, e não sei o que mais que tentam nos convencer, e é perigoso, e é isso, e é aquilo, e no fundo no fundo tudo isso não tem nada a ver!

O que existe é um mundo cheio de pessoas buscando suas realizações e verdades, pessoas como nós, com medos, com bondade, com uma cabecinha que pensa como nós e sofre como a nossa (ou mais, ou menos), mas a verdade é que sempre aparenta que a vida dos outros é mais fácil né? pois é, do lado de dentro tudo fica diferente. Os pesos são diferentes, as idéias são diferentes. Mas a essência é a mesma.

E nessa nossa criação, de um mundo de trabalho exagerado e desemprego se desequilibrando como várias outras coisas que os humanos fazem, sobra espaço e tempo só pra pensar: porque estou fazendo assim?

Porque?

Logo eu, que acredito que tenho que ficar em paz e viver bem, quando começo a lidar com as coisas da materialidade e da vida já começo a pensar demais, a me preocupar com trabalho, com grana, com tudo que, no fundo, nunca me faltou! Que medos estranhos existem nessa atual sociedade humana. Muitos medos desses nem são verdadeiros...

Mas o desabafo é pra manifestar que lembrei! Lembrei que estou vivo, que a natureza nos dá muito mais do que precisamos e que nós mesmos é que abusamos dela, e criamos necessidades que não existem, gerando trabalho que não é necessário e deixando que o importante mesmo, que é fazer o mundo dar certo pra todos, fica de lado.

E como tem coisa pra fazer...

Mas hoje vai ser trabalhar, chegar em casa e ler... ler não pra esquecer da vida, mas pra lembrar dela.

Um comentário:

E. Serpa disse...

realmente, temos que ler pra não nos perdermos da vida. ou entao, ela passa e nós não vemos/lemos/ouvimos.